Srila Atulananda Acharya

palavras de Gurudeva


A pessoa séria não confia em seus sentidos nem em sua mente

A pessoa séria já não confia em si mesmo. Quer morrer para viver. Se não desejamos a mudança, não terá mudança. Deus respeita nossa liberdade, nós devemos ansiar esta mudança, aprender a morrer para viver.

Vida espiritual significa morte à vida material. Não se pode viver sem estar disposto a morrer, e morrer significa matar nossas más qualidades e dar-lhe vida as belas virtudes da alma. A alma pura é tão bela que até Deus se apaixona por ela, mas nosso próprio ego é tão monstruoso que nem sequer nós mesmos o suportamos.

Sofremos porque nosso ego nos faz sofrer. Desta maneira estamos apegados a nossa dor, é uma doença de nossa mente pretender que todos louvem nosso ego o que se rendam a ele. A saúde da mente é lutar por eliminar nosso ego e esta vitória se alcança pelo humilde e contínuo canto das glorias de Deus e seus Devotos.

O amor por Deus e seus Devotos é o único que nos liberta do egoísmo. Egoísmo significa amarrar o que me faz sofrer. É amar minha inveja, minha intolerância, minha estreite de mente, mas o serviço a Deus abre nossa consciência ao amor universal


Participação de Gurudeva Atulananda no Chat Dominical de Srila BA Paramadvaiti Swami Maharaj: Krishna Krishna Govinda, a vida é linda

Os brahmanas são a cabeça da sociedade. Ajudar é o resultado do amor, isso já soa revolucionário. Que o amor se torne revolucionário e que seja um perigo para a sociedade. Mas isso é, o próprio Jesus se via como um perigo para a sociedade. Como disse Gurudeva Paramadvaiti, todos temos dentro de nós um materialista, por algo estamos neste mundo, mas rogamos a Krishna para que o mate, porque esse materialista é muito poderoso. Nós sozinhos não podemos eliminá-lo. Assim, que através da oração contínua pedimos a Krishna que estabeleça em nós a natureza divina, que nos atraia ao superior. Necessitamos atração para o transcendental e assim daremos as costas ao material. Nisso consiste nosso passeio neste mundo, e em sair dele.

Quando se está em um calabouço deve sair dele, e permanecemos neste calabouço enquanto estivermos mais interessados em nós mesmo do que no bem universal, é uma prisão mística, as grades são nosso próprio egoísmo, inveja, nossa capacidade limitada de nos curvar para o que é bom e puro. O que é puro é o que satisfaz o supremo, o impuro é o que satisfaz os sentidos, a meu ego. O impuro é tudo aquilo que me faz sofrer e me mantém condicionado. Isso é muito fácil de notar, por isso as pessoas mais inteligentes se dão conta dessas coisas, as vêem claramente, vêem que todo o problema são nossos próprios anarthas, defeitos. Krishna está aqui mesmo, em nosso coração. Krishna está conosco, mas nós não queremos escutá-Lo. É como uma criança que vive na casa do pai, mas que segue fazendo suas coisas. Krishna diz no Bhagavad Gita: “Isso leva muitos nascimentos, mas logo todos se rendem a Mim.”
Clique aqui para ler o chat completo de Paramadvaiti Maharaj


A pureza do Bhakti

O Srimad Bhagavatam diz que se deve fazer intenso bhakti, qualquer que seja a condição de nosso coração. Já que o Senhor é o único purificador, ou pavitram, devemos ir até Ele. O fato de que Ele seja Pavitram, o Purificador, significa que uma pessoa pode se aproximar Dele estando contaminada, desse modo, ainda estando contaminados podemos fazer nossa oferenda de coração a Ele.

O que quero dizer com isso é que devemos fazer nosso serviço de coração. Não devemos deixar para depois a função de nosso coração. Bhakti significa que devemos atuar sempre com uma atitude amorosa para Krishna, e desse modo não vamos sentir que nosso serviço é algo monótomo e superficial.
Às vezes, um devoto pode sentir que sua vida se tornou monótoma. Uma vez que sentia isso, pensei que era como navegar no mar. É chato depois de certo tempo de navegar ver somente a superfícia do mar, mas se você for ao fundo, encontrará a grande variedade sobre a qual está navegando. Assim pensei nesse momento, que devia aprofundar, devia atuar com sentimento para com Krishna.
Devo entender que tudo o que faço é uma oferenda amorosa a Deus, a Krishna. Isso é algo muito grande.
Como disse Sridhar Maharaj, tudo o que se faz para Krishna é grande, é valioso, porque é para Krishna.
Assim, com um coração cheio de alegria, devemos fazer nosso serviço, pois é uma grande bênção. Logo que pensarmos: “Isso é para Krishna, para o Deus do amor”, nos sentiremos melhor e nos dará otimismo e uma projeção positiva.
Sentiremos que nossa vida tem sim um valor, uma importância existencial.


A união faz a força

Servir e dar serviço.
A união faz a força. Mas a união não é uma coisa fácil, já que maya (ilusão) nos desune. Maya nos separa inclusive de Deus e assim podemos ver seu poder. Ela nos separar e nos isola em nosso próprio ego. Os mayavadis (impersonalistas) caem nesta fraude e se afastam no seu grande ego, pensam que este isolamento é vida espiritual. Mas nós defendemos o movimento de sankirtan (pregar as glórias de Deus) que é a união entre os devotos. Sankirtan também significa que os devotos unidos estão servindo a Deus. Nós começamos servindo e por receber serviço, depois teremos que dar serviço e animar o serviço dos demais.

Quando nos libertamos desse ego e aprendemos a apreciar os demais, podemos encontrar o tesouro em que os demais se encontram e ali começamos a viver num paraíso de amor aos demais. Só a libertação da inveja permitirá esta relação amorosa, a inveja nos separa inclusive de Deus. São só os anarthas (coisas indesejáveis) que nos distanciam, os defeitos, são como nuvens que nos distanciam do sol. A alma é como o poderoso sol, mas as nuvens de nossos desejos cobrem a luz da consciência, por isso devemos centrar-nos em combater os desejos.

Apreciar os demais também significa preocupar-se por seu bem-estar. Isso significa criar facilidades para a pregação. Deste modo tudo esta conectado, tudo se relaciona: a preocupação pelo bem afasta a ação do mal. O que sinto é que nosso grande dever agora é limpar e limpar. Ao limpar aparecerá a pureza porque a pureza já está intrínseca na alma. Não é necessário ir procurar a pureza fora, a pureza é interior, só tem que limpar o interior. Por isso se preocupe com seu mundo interior. Algumas pessoas tentam incorporar a pureza através do intelecto, têm conceitos puros, mas não seus sentimentos. O sentimento puro só surge através do serviço puro e serviço puro é servir ao Guru. Este serviço é Devoção por Deus.

Serviço ao Guru é humildade, a porta para todas as virtudes. Deste modo vemos que a consciência de Deus é muito prática. Não somos filósofos de café nem poetas superficiais. Deus outorga de imediato o acesso ao tesouro das virtudes mais elevadas, embora nós não as tenhamos alcançado. Como Srila Prabhupada dizia: “se não és humilde, atua como se o fosses. Um monge cristão disse: “santidade significa ser superior a nós mesmos.” – gostei muito dessa frase, significa guiar-se sempre pela inteligência suprema, pela inteligência iluminada pelas escrituras. E viver nessa inteligência superior significa viver no fogo da dedicação a Sri Guru. Que bela vida, uma vida cheia de ideais, de heroísmo.

A separação de Deus, essa deve ser nossa única dor. Uma vez Gurudeva Paramadvaiti disse: “não choramos pela separação de Deus, mas choramos se perdemos dez dólares, essa é nossa desgraça”.

Srila Prabhupada nos tem dado o acesso a uma vida superior, mas vida superior significa dedicação superior, maior compromisso. Quando uma pessoa cresce é porque aceita mais responsabilidades isso será o valor da pessoa, por isso, vamos tomar a maior responsabilidade que é a de salvar os demais deste ciclo de mortes. Quando era jovem e saía para pregar lembro que uma vez pensei: “quando falo com uma pessoa, isso é mais importante que fazer a mais difícil cirurgia porque desta conversa depende seu despertar pela atração por Deus, é muito delicado”. Esse pensamento chegou eem minha juventude e por isso Srila Prabhupada queria que estivéssemos bem preparados.

Por isso não evitemos as responsabilidades nem no trabalho com os demais nem no trabalho para os demais. Não pensemos que vida espiritual é vida de retiro, isso é impessoal e cômodo; não é o que Deus espera de nós.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s