Srila Atulananda Acharya


Deixe um comentário

Aparecimento transcendental de Sri Advaita Acharya

06.02.2014
Aparecimento de Srila Advaita Acharya 

Imagem

Sri Advaita Acharya foi um associado íntimo de Sri Chaitanya Mahaprabhu. É considerado uma encarnação de Mahavisnu e Siva combinados. Uma vez, Siva estava chorando ao ver os males que esperavam em Kali-yuga. Ele se aproximou de sua esposa Durga e lhe perguntou se poderia fazer algo a respeito. Ela lhe disse que sua função era mais de condicionar e confundir as almas, e que por isso não poderia fazer nada para liberá-las. Ao ouvir isso, foi orar ao Senhor Visnu, fez isso durante cem anos celestiais. Finalmente, o Senhor Visnu apareceu diante dele e lhe disse que não havia real diferença entre ambos. Lhe disse que iria descender em Kali a salvar as almas e que queria contar também com sua presença. Depois de dizer isso, abraçou ao Senhor Siva. Este abraço deu origem a suprema personalidade de Sri Advaita Achayra.

Ele descendeu a este mundo antes que Mahaprabhu. Ao ver a condição caída das almas e a falta de interesse por bhakti, em sua grande dor implorou para a decida de Krsna para que viesse salvá-las. Sri Advaita chamou ao Senhor com fortes gritos, adorando a forma salagram de Krsna com folhas de Tulsi e com água do Ganges. Graças a este chamado o Senhor adveio como Sri Krsna Chaitanya, para o bem do universo.

Srila Atulananda Acarya


Deixe um comentário

oração do ano novo (2012!)

Oração feita por Srila Gurudeva no ano novo de 2012 em Catemu – Chile.
ouça em áudio aqui: Oração de ano novo por Gurudeva Atulananda 2012

 

Jay
Ano novo, vida nova.
Um grande abraço a todos, estou muito feliz de compartilhar com vocês esse evento importante, no sentido mais que nada da consciência, porque “ano novo, vida nova”.

Podemos dar a tudo um sentido superior, então nessa cultura se está celebrando algo que marca algo em nossas vidas. Justamente “ano novo, vida nova”. Portanto os devotos sempre querem renovar suas vidas, melhorá-las.

Bom, meus queridos, os valentes, que repitam comigo essa oração:

Hare Krsna
Agora que começa um ano novo
Quero renovar meus votos
Quero “ponerme más las pilas” (começar bem, fazer as coisas com energia)
Quero ser mais espiritual
Quero ser mais puro
Quero ser mais rendido
Quero ser mais comprometido
Quero estar mais apegado à ordem de meu guru
Quero ter sempre presente a Krsna
Vou fazer um esforço por senti-lo em meu coração
Vou tratar de ver a Krsna em todas as coisas
Em todos os atos
Em todos os acontecimentos de minha vida
Como Krsna mesmo disse no Bhagavad Gita
O verdadeiro yogi me vê em todas as coisas
Me vê em todos os seres
Assim vou fazer esse esforço
Por ver a Krsna sempre
Em todas as coisas
Em meus amigos e meus inimigos
Nos bons tempos e nos maus tempos

E recebo esse novo ano com minha arma em mão
Com a arma do conhecimento
Com a arma da determinação
A arma do entusiasmo
A arma do otimismo
Com a arma do amor a seus devotos
Da união entre os devotos
Do amor por todos
Armado com o desejo de servir
Armado com o desejo de cumprir
Armado com um sorriso
Armado com o bom ânimo
Armado com uma grande esperança
Armado com um grande agradecimento
Por tudo o que estou recebendo
Por tudo o que recebi
Por tudo o que sei
Por ter esse corpo humano
Por ter um compromisso divino

Assim, esse novo ano não irá me reconhecer
Porque eu sempre estarei entusiasmado
Sempre vou estar alegre
Sempre vou estar positivo
Não vou me desanimar
Não vou chichipatiar
Vou melhorar meu sadana
Vou melhorar minhas rondas
Vou orar em minhas rondas
Vou sentir o santo nome em meu coração
Vou viver essa filosofia de coração
Quero mudar
Assim que esse novo ano
Me dá essa nova oportunidade

Quero ser mais consciente
Quero ter presente todo esse conhecimento
Quero ser mais austero
Quero ser mais renunciado
Quero sentir os prazeres mais espirituais
Porque essas são as verdadeiras realizações
Através da austeridade
Através da renúncia

Por ter acesso
A essas realizações superiores
Peço as bênçãos
De todos os meus guardiães
De todas minhas deidades
De toda minhas orações
De todos meus gurus
Peço suas bênçãos
Peço sua ajuda
Peço sua boa vontade
Para que eu possa cumprir
Porque tudo isso é um novo compromisso
Renovar o compromisso
Renovar meu casamento
Renovar meu matrimônio
Minha fidelidade
Minha lealdade
Meu apego
Pela verdade
Pela verdade superior

Quero também ter mais determinação
Para entregar isso aos demais
Para com meu entusiasmo
Entusiasmar aos demais
Quero sentir o compromisso universal
Sou uma parte do plano universal
E quero colaborar com minha função
Porque isso é o dharma
O dever do homem
O dever do homem em sua relação universal
Não é somente um conceito pessoal
Pessoal
Individualista
Egoísta
Competitivo
Ao contrario
Humano significa irmão
Humano significa compartilhar
Significa distribuir
Presentear
O que nos foi presenteado

Agora me é presenteado um novo ano
Uma nova oportunidade
Cada dia também é uma nova oportunidade
Cada dia terei meus êxitos e fracassos
Mas cada dia tentarei encontrar mais êxitos
E para isso vou incrementar sempre minha oração
Vou incrementar minha necessidade
De Krsna
A necessidade de render-se
A necessidade de depender
A necessidade de solicitar
De implorara graça
Pois como disse Gurudeva Paramadvait
A graça não se pede só uma vez

Quando você deixa de pedir a graça
Cai em desgraça
Assim, sempre vou pedir a graça
Sempre desconfiando de mim
Sempre desconfiando de meu poder
De minha força
De minha inteligência
De minha capacidade

Mas Krsna tem todo o poder
Meu guru tem todo o poder
Toda a capacidade
E eles sempre querem me abençoar
Por isso oro para ser sempre abençoado por eles
Essa é minha oração para esse ano que vem
Somente quero que Krsna viva em mim
Quero ser o instrumento de Krsna
Um instrumento de seu amor
Um instrumento da ordem de meu guru

Quero que desapareça meu ego
Que desapareça minha mente
Que desapareçam meus desejos
Meu egoísmo
Meu orgulho
Meus rancores
Quero que meu coração brilhe
Como um verdadeiro coração vaisnava
Amando a todos
Tolerando a todos
Tolerando a mim mesmo mais que nada

Espero receber toda essa graça
Porque Krsna sempre está muito ansioso por me dar essa graça
Porque Krsna disse no Bhagavad Gita
Quem é meu devoto jamais será vencido
Assim, eu não quero ser vencido
Pela influencia de Kali
Que traz inimizade
Que trás más relações
Más disposições pelos outros
Suspeitas pelos outros
Que me impede de apreciar aos demais
Me impede de apreciar a natureza
Me impede de apreciar a água cristalina
E me obriga a tomar “caca cola”
Essa é a influência da era de Kali
Não me deixa ver a beleza da natureza
Me obriga a ver televisão
Essa é a influência de Kali

Mas o que adora o Senhor Caitanya
Não será mordido pelo cão de Kali
Por isso quero orar sempre ao senhor Caitanya
E esse novo ano quero estar sempre
Com todos aqueles
Que sempre adoram ao senhor Caitanya
Eu não quero saber nada da era de Kali
Que não se casam com a era de Kali
Porque estão casados com Mahaprabhu
Estão casados com o movimento de sankirtan
Porque somente sonham com ver todo mundo cantando e dançando
E lutam para esse fim
Se esforçam para esse fim
Suam para esse fim
São presos para esse fim
Tem que pagar multas para esse fim
Mas agora sim, seguem apegados ao serviço de Mahaprabhu
E não querem casar-se com Kali
Ainda que tenha que pagar multas

Hare krsna
Jay

Esses são meus votos
E oro a Krsna
E oro aos Vaisnavas
Para que me permitam cumprir esses votos
É muito difícil ser austero
Mas Sri Krsna disse no Bhagavad Gita
Eu sou a austeridade nos austeros
É muito difícil ser renunciado
Mas Sri Krsna disse no Bhagavad Gita
Eu sou a renúncia do renunciante
Assim oro a Krsna
Para que me permita ser mais austero
Para que me permita ser mais renunciado
Para que me permita ser mais sábio
Mais inteligente
Estar sempre situado na bondade
Sempre com um sorriso
Sempre com boa disposição
Sempre com um bom pensamento
Como aprendemos de Gurudeva Paramadvait
Como temos aprendido de nossos gurus
De Srila Bhakti Pramod Puri Maharaj
Srila Prabhupada
Srila Sridhar Maharaja
Goura premanande!

Ano novo, vida nova
Oro a todos os vaisnavas que façam possíveis minhas palavras
Que façam possíveis meus votos
Goura premanande
Goura premanande
Gouranga gouranga gouranga premanande!!!!

 

Srila Atulananda Acaraya 044


Deixe um comentário

não descuidar-se no caminho espiritual

Quando avanças espiritualmente, maya não gosta de ver teu enriquecimento e estará planejando como roubar-te, como sequestrar-te, por isso tens que ser muito cuidadoso. Teu negócio já está prosperando, te dá lucro, mas os ladrões estão aí espreitando, por isso você tem que estar sempre pensando em como fazer para que não te roubem.

Como fazer para que não me distraia, para que não me desanime, para que não me invada o desânimo, a frustração. A humildade é fundamental, porque humildade também significa não aspirar por frutos muito grandes. Na realidade, humildade significa não aspirar por nenhum fruto, somente aspirar a cumprir com o dever. Isso é humildade. Isso é o conceito de escravidão divina.

Escravidão significa a troco e nada. Srila Prabhupada não veio a nos enganar, veio a formar uma escola de escravos, ou seja, de pessoas, de homens e mulheres que cumprem com seu dever, em troca de nada. No sentido que para mim não quero nada, só quero que meu guru esteja satisfeito. Só quero que Krsna esteja satisfeito. Ao diabo com minha satisfação, já que está cheia de ego, de luxúria e vaidade! Pelo contrário, corremos de nossa satisfação.

O mesmo Senhor Brahma esteve atraído por sua própria filha. Assim podemos ver que esse mundo é de temer, é tremendamente perigoso. Em qualquer momento podemos nos tornar uma pessoa mais degradada, mais abominável. O mesmo Senhor Brahma teve que mostrar isso para que fiquemos atentos, para que nos cuidemos. Isso é grave, deve-se tomar cuidado.

A cada passo há perigo, cuida-te. Para onde olhes, cuida-te. O que pensas, mantenha-te sempre alerta. Você não é uma pessoa comum, o yogui é uma pessoa que está sempre trabalhando em seu crescimento interior. O yogui é superior ao asceta, é superior ao grande erudito, superior ao karmi. É muito exitoso. Por isso, “seja um yogui!”, recomenda Krsna a Arjuna.

Somente devemos fazer nosso trabalho, e nossa tarefa fundamental é orar humildemente e cultivar a humildade e o desapego. Na realidade somente estamos correndo atrás de grandes coisas impossíveis, mas isto é dado por Krsna se lhe solicitamos.

Há muitos poderes místicos que se alcançam meditando no Senhor Supremo, mas a nós não interessa, só queremos sair de maya. Esse é um grande poder místico que Krsna nos quer dar agora, “Meu querido filho de Kunti, meu devoto não será seduzido pelos poderes de maya”. Nós queremos prema, o amor divino.

Para o mais baixo, Mahaprabhu é o mais alto. Podemos solicitá-lo, podemos implorá-lo, podemos pedir, podemos desejá-lo. Mas temos que trabalhar para isso. Se pedes sem ter trabalhando és um explorador, temos que merecê-lo. Srila Prabhupada disse, primeiro trabalho, depois samadhi. Se tens samadhi sem haver trabalhado, esse samadhi não vale, é um samadhi sahajiya, superficial, instável.

Alguns se extasiam muito rápido, e também muito rápido se vão. Algumas pessoas querem o benefício de imediato, mas a estratégia é: enquanto mais serves a Krsna em troca de nada, mais crescerá seu capital e mais rápido poderá ter a Krsna. Como diz o ditado: “Deve-se apertar os cintos”. Assim, que pratiquemos bhakti com os cintos apertados, sem esperar nada, sem nenhuma motivação pessoal. Aborreça o pessoal. Como disse Jesus Cristo, aborreça a ti mesmo. Aborreça seu quintal a parte, porque esta é uma grande família, a grande família universal no sambhanda do amor divino, a união, o vínculo. Então Srila Suta Goswami disse: “ahaituki”. Com o cinto apertado, ainda que haja muitos impedimentos, estou servindo, venho a trabalhar como um voluntário e mais acima me chegam problemas, muitas adversidades.

Esse espírito pode existir em nosso coração, o de sacrificar-se. Por que não o posso fazer por Krsna? Quando nossa vida será intolerável por não ter a Krsna? Srila Suta Goswami nos fala sem engano: Aproxime-se dessa escola, firme esse contrato. Essa empresa não se paga nada. Qual será meu trabalho? Teu trabalho será enfrentar um problema atrás do outro.

Há muitos problemas, mas “apratihata”, não há problema na realidade. Parece um problema, mas não é. Não esperes por nada e não te deixes abater pelos impedimentos. Qual será o resultado disso? Aí tua alma estará feliz! Não há que deixar-se desanimar pelos impedimentos, pelos problemas. Não nos deixemos desanimar. É o pedido de Srila Suta Goswami. Ele disse isso: “Não te esgotes, deves passar por cima do obstáculo”.

Em meio a um campo de batalha, onde estarão presentes todas as adversidades do mundo, Krsna disse a Arjuna: “Declara, oh filho de Kunti, que meu devoto não será vencido! E vou mostrar-te, agora vais a ver. Certamente, todos vão a morrer, menos você”. Deste modo, estás sendo treinado, preparado, enriquecido para vencer, para cruzar, para voltar a Krsna.

 

Srila Atulananda Acarya
Não descuidar-se no caminho espiritual.
02 de Outubro de 2013


Deixe um comentário

como alcançar a Deus

Podemos dizer que todo mundo busca a Deus, que todos querem alcançar a Deus. Se nós definimos Deus como o Supre­mo, é natural que desejemos alcançá-lo.

Por exemplo, o comerciante deseja tornar-se muito rico, um intelectual almeja estar sumamente preparado, também o ar­tista gostaria de ser um ótimo artista. Também vemos que cada um, em seu campo de atividade, tem seus líderes, seus inspi­radores, supremos. Na política, na ciência, na arte, todos nós buscamos a Deus e ao Supremo, trata-se de uma busca natural, um desejo natural.

Entretanto há distintos conceitos de “Supremo”. Para alguns, o Supremo é o Universo, para outros, Deus é o poder, o conhe­cimento, para outros é a renúncia; para outros ainda, é a felici­dade, o êxtase, o Amor. Em nossa escola de bhakti, o Supremo é o Amor, Deus é Amor. O aspecto de Deus como Krishna é completamente amoroso e compassivo, acima da grandeza, da majestade, acima do poder.

Na realidade tudo está incluído no amor. Por vezes Sri Krish­na mostra sua majestade. Por exemplo: em um piscar de olhos Ele construiu a cidade de Dwarka e mostrou Seu poder quan­do destruiu os muitos demônios que invadiram Vrindavana. São esses demônios que contaminam nosso coração e Krishna mostra um imenso poder ao purificá-lo.

Deste modo, Seu poder revela o Amor. Sua magnificência, como a que relatamos sobre Dwarka, foi também para defen­der Suas rainhas, Seus devotos. Sua majestade também está relacionada com o amor, com o serviço a Seus devotos e, por essa razão, dizemos que Krishna é o aspecto mais elevado e encantador de Deus.

Sri Krishna declara no Bhagavad Gita que somente através da devoção podemos alcançá-Lo, bhaktya mam abhijanati. Abhi­janati significa “Eu posso ser completamente conhecido, Eu posso ser profundamente conhecido”, porque ninguém pode amar quem não conhece. Assim, Sri Krishna se dá por conhecer. Abhijanati significa conhecimento superior, conhecimento su­premo através da devoção, porque é por intermédio do amor que alguém abre o seu coração, que se revela, se dá a conhecer, mostra seus segredos e também a sua identidade. Todos se re­velam através do amor, não há como conhecer a outra pessoa se ela própria não nos mostra sua personalidade, não revela os seus gostos, as suas inclinações, suas inquietações. Não pode­mos saber quais seus desejos se ela mesma não nos contar.

Deste modo, se somente por meio de uma revelação nós podemos conhecer outra pessoa, dir-se-á conhecer a Pessoa Suprema. Conforme dito no Bhagavad Gita:

“Porque tu és meu devoto e meu amigo, eu te estou revelan­do isto, que o mais confidencial, o mais secreto, a meus devotos naturalmente o entrego.”

O Senhor Brahma também diz, vede sudurlabha: Nos Vedas, no campo do conhecimento, da investigação científica e filo­sófica, é muito difícil obter essa verdade superior, essa verdade suprema, conhecer a Causa Primeira, conhecer a Deus, é mui­to difícil. Porem, adurlabha atma bhakto, é muito fácil conhecer a Krishna pelos seus Devotos, pois Ele está junto deles.

Conforme diz Bhaktivinoda Thakur, Krishna se tomara, Krish­na dite paro, tomara sakati ache. Krishna já é teu, e tu podes dar a Krishna, esse poder está em tuas mãos. Assim Srila Bhaktivi­noda Thakur se dirige a seu mestre espiritual. As pessoas santas têm a Deus e eles podem nos dar Deus. Essa é sua grande mi­sericórdia. Por isso desejamos a companhia das pessoas santas: se queremos alcançar a Deus verdadeiramente, primeiro preci­samos procurar aqueles que têm a Deus, assim como quando queremos comprar alguma coisa, precisamos procurar quem está vendendo essa coisa, pois não a podemos fabricar. Da mesma forma, as pessoas santas naturalmente nos dão Krish­na, como uma macieira dá maçãs, ou como o sol dá a luz e o ca­lor, assim como um médico cura doenças. Da mesma forma, as pessoas santas nos dão alívio interno, nos iluminam, mostram o caminho para obter a perfeição.

Deus está entre as pessoas santas e através delas se apresen­ta. Se não temos apreço pelas pessoas santas, não podemos ter apreço por Deus, pois as pessoas santas O representam, re­presentam o serviço para Ele, a relação com Ele. Se desejo estar com Deus sem os santos, isto significa que não quero servi-Lo, não quero assumir o compromisso. Para essas pessoas Deus só manifesta a Sua luz, a Sua energia, ou as vezes mostra o Uni­verso ou o Paramatma, algum aspecto de Deus onde não há o compromisso com o serviço. E apenas entre os devotos está esse compromisso.

Mas o mundo superior, o mundo do amor, é o mundo do serviço. Por essa razão, para ir até lá, devemos desenvolver a atitude de serviço. O desejo de servir é naturalmente desper­tado em companhia dos devotos, pois é essa a nossa posição constitucional, nós somos servidores. Porém, através de Maya (a energia material ilusória) assumimos uma personalidade fal­sa, assumimos uma inclinação falsa, buscamos sermos os se­nhores e exploradores.

Busquemos, pois, despertar para o desejo de servir. Como disse Jesus Cristo: “os últimos serão os primeiros”. Pela influ­ência de Maya, da ilusão, queremos ser os primeiros, mas isso é uma doença mental. Deus é o primeiro, os sábios, os santos e nossos mestres são os primeiros. Nós não precisamos ser os primeiros, o lugar dos primeiros felizmente está ocupado e nós temos apenas que servi-los, com humildade, alegremente, na­turalmente.

Dessa forma vamos alcançar a Deus. Alcançar a Deus não significa, necessariamente, que precisamos estar com Deus agora, simplesmente nos colocar no caminho que leva a Deus, isso é estar com Deus. “su-sukham kartum avyayam”, se trilhas o caminho que conduz a Deus, esse é um caminho feliz, esse é um caminho iluminado, uma trilha protegida por Deus. Sen­tirás a Sua mão, a Sua companhia, e estarás livre da influência material, livre do karma.

Tão logo inicias essa busca, se estabelece a conexão. Isso é declarado por Chaitanya Mahaprabu. Assim que inicias a bus­ca sincera e séria por Deus, Krishna te considera como um dos Seus, Atma sama. O que isso significa? Isso é asa sangat tyaga, essa pessoa se torna alguém sem interesses mundanos, sem interesses temporais, que quer deixar tudo o que é transitório, só quer se vincular com o eterno, com o substancial, com o pro­fundo. Esses são os sintomas.

Asa sangat tyaga, logo se desperta um desgosto pelo mun­do, um desinteresse pelo mundo que impele a olhar para o alto, pois quem tem esperança no infinito desperta sua fé su­perior, nossa aspiração passa a ser o eterno, o infinito, que são características de Deus, a Quem buscamos.

Em suma, na companhia das pessoas santas pode­-se dizer que já alcançamos a Deus e isso é mais seguro que uma suposição de que alcançamos Deus: alguns po­dem dizer que viram Krishna, mas se não estão na compa­nhia dos devotos de Deus, não estão realmente com Ele. A garantia verdadeira de estar com Deus é estar com seus de­votos, pois estes representam o coração de Deus, eles são o amor de Deus.

Krishna disse a Narada Muni: “Não estou na morada trans­cendental, nem vivo no coração do yogis, mas, sim, onde quer que os devotos cantem Minhas glórias. Ali podes me encon­trar”.

Jesus Cristo também disse que “onde há dois ou mais em meu nome, ali estarei”. É a mesma afirmativa a que encontra­mos nos Vedas, nas escrituras vaishnavas. É dito por Deus no Sri Isopanisad que, Deus está longe e perto ao mesmo tempo. Na verdade, Ele está sempre perto de nossos corações, porém aparentemente, Ele está distante. No entanto, se quisermos tê-Lo sempre perto, no momento em que pronunciamos Seu nome, Krishna, Ele se aproxima, pois Seu Nome não é diferente dEle mesmo, Ele é Absoluto, Seu Nome não é diferente Ele, Sua potência não é diferente Ele, Seu Nome, inclusive, é mais pode­roso que Ele mesmo, uma vez que ao ouvir o Seu nome Ele se obriga a vir.

Assim, por escutar sobre Ele, Sravanam, por falar sobre Krish­na, Kirtana, por lembrarmos dEle, Vishnu smaranam, servir a Seus pés, pada sevanam, arcana vandanam, por adorá-Lo, por oferecer-Lhe orações, por seguir as Suas ordens, por servi-Lo e O sentir como um amigo, por nos entregar a Ele, atma niveda­na, alcançamos a Deus, enchendo nossas vidas com Ele: sem­pre escutando sobre Ele, falando sobre Ele, tendo-O sempre presente. Ele está presente quando sempre cantamos Suas gló­rias, nos esforçamos com determinação. Ao tomar firmes votos, estaremos sempre em união com Ele.

Isso é Bhakti yoga, ou seja, a contínua comunhão com o Su­premo através do amor e da devoção, e isso ocorre perfeita­mente. Essa mística existe, essa possibilidade existe: ao cantar o Santo Nome, ao servir, escutar, ao recordar. Ele está sempre dentro e fora de nós, como o ar, a água e a terra também estão. Deus também está dentro e fora de nós, porém Maya, a ilusão, nos separa Ele, nos afasta de Krishna. Mas isso é ilusório, no pla­no da realidade estamos sempre com Krishna, Ele sempre está conosco. Nisso consiste a yoga: como nos unir a Ele, como estar sempre com Ele e, se vivemos desse modo, estaremos com Ele quando abandonarmos este corpo, e essa é a perfeição da vidHare Krishna!

Obrigado!

Srila Atulananda Acarya
Soluções da Sabedoria Védica
Pilares de uma Cultura Superior


Deixe um comentário

Bênçãos das grandes almas

É completamente místico saber que o que Narada Muni disse a Vyasadeva cinco mil anos atrás o inspirou a escrever o Srimad Bhagavatam. Srila Vyasadeva é a encarnação de Deus como escritor e ninguém sabe isso no mundo ocidental, Ele escreveu todos os vedas, e estes são para purificar-nos, para tirar-nos do interesse sensorial, do interesse mental, do interesse intelectual e assim levar-nos ao interesse da consciência pura e amor puro.

A literatura suprema é o Srimad Bhagavatam e o Sri Caitanya Caritamrita, que fala diretamente ao coração para conquistá-lo e assim poder oferecê-lo a Krishna, isso é bhakti. No México, no ano de 1975, Srila Prabhupada disse: até agora me trouxeram sudras para que eu lhes dê segunda iniciação, tem que qualificá-los, aqui estão cinco classes. Ele queria que estudássemos, queria que conhecêssemos seus livros.

Quando se estuda, a inteligência se fortalece e se derrota a mente. Não somos a mente, mas parece que somos a mente porque estamos dominados por ela, isso significa estar possuído. A característica da mente é não querer servir, ela pertence ao mundo da obscuridade e lamentação. Krishna disse que o corpo é como uma cidade e se nos pedissem para escolher onde viver não iríamos querer estar na vila miséria – a vila miséria é a mente, não viva neste plano. O bairro mais alto é o do coração puro, o da inteligência, por isso devemos estudar.

Ao vencer a maya, a preguiça, a mente, começa-se a sentir néctar, um prazer por analisar a filosofia de Krishna, e logo a plumagem muda, da de um corvo para a de um cisne.

A função da mente, como a função de tudo, é render-se a Krishna. Quando se é um intelectual, um erudito ou um cientista, nesse momento a inteligência não está rendida, essa é vida karmi. Nessa vida, os sentidos, a mente, a inteligência, o ego falso não estão rendidos. Na vida dos vaisnavas tudo está rendido.

Krishna disse, os devotos estão usando tudo para se purificarem, para se renderem a Mim, eles estão atuando para se desapegarem e terem um coração puro, temos todo um mundo de completa maravilha. Quando Srila Vyasadeva mesmo estava ditando ao Senhor Garuda, Ele meditou em cada sílaba desta escritura e cada uma era um presente, uma oferenda pensada por Deus mesmo para te conquistar, é a serenata do Senhor Supremo.

 

Srila Atulananda Acharya
21/07/2013


1 comentário

balaram

Imagem

 

O irmão maior de Krishna é Balaram
Balaram, Balaram
Ele cuida que à Krishna não aconteça nenhum mal
Balaram, Balaram

Junto com Seus amigos saem a roubar
Com certeza de que Suas mães Os castigarão
Balaram, Balaram

Como Ananta Sesa é um servo especial
Carrega em Suas cabeças a criação universal

Canta com mil bocas as glórias de Bhagavan
É o seu assento, cama e cordão de Brahman
Balaram, Balaram

Com Seu grupo de gopis gosta de dançar
Ao demônio gorila soube bem matar
Por carregar Seu arado, O chamam de Haladhar
Com este ao rio Yamuna quis castigar
Balaram, Balaram

Sua eterna glória não conhece o final
Começou com Goura, o belo sankirtan
Ali se chamava Nityananda Prabhu
E dançava feliz com seu dhoti azul
Balaram, Balaram

Mostrando Sua misericórdia sem igual
Salvou a todos com seu amigo Haridas
Sua graça não nos deixa de acompanhar
Pois vem como mestre espiritual
Balaram, Balaram

Teu brilhante corpo branco, roupas cor nuvens vestes,
Com Teu arado ao Yamuna causa temor,
Óh Kesava que como Haladhar vieste!
Glória a Ti, óh Senhor da Criação!

.Balaram
Por Srila Atulananda Acharya

 

Aparecimento transcendental de Sri Balarama ki Jay!
Balarama purnima ki jay!


Deixe um comentário

bhakti e família

bhakti e família
srila atulananda acarya

Bhakti, sendo o yoga supremo, nos conduz a suprema união

Bhakti enobrece nossa existência ao fazer-nos ver como eternos serventes de Deus. Bhakti nos diviniza, ao recordarmos nosso eterno compromisso com a transcendência. Bhakti é o que vai nos elevar.

krsna

Como a vida de casal e de família deve estar centrada e sustentada pelo amor, sem dúvida nelas é de grande importância a pratica do bhakti. Este deve ocupar um lugar predominante, já que é a ciência que nos ensina a amar, que nos permite amar de forma real. Não podemos separar bhakti do casal nem da família. Bhakti deve ser a base de tudo em nossa vida. Se devemos ocupar bhakti até para comer, o que dizer então para algo tão fundamental como a família?

Bhakti está em tudo, deve estar em todos os aspectos da vida de um homem e uma mulher superiores. Superior significa não deixar-se arrastar por desejos caprichosos, mas segurar com firmeza as rédeas de uma inteligência sã e tomar o caminho que conduz à verdadeira meta, que é o amor puro por Deus.

Bhakti enobrece nossa existência ao fazer-nos ver como eternos serventes de Deus. Bhakti nos diviniza, ao recordarmos nosso eterno compromisso com a transcendência. Bhakti é o que vai nos elevar, a mente e os sentidos nos degradam. Em nossa lamentável condição atual sentimos bhakti como um inimigo e vemos nossa mente e sentidos como amigos. Mas bhakti é o amigo de nosso ser superior e nos relaciona com os demais nesse mesmo nível.

Nessa altura alcançada pelo bhakti não existe rancor nem inimizade. Bhakti só está apoiando o amor, só está dando essa solução, essa única saída. Por isso nos obriga a nos elevar. Se há bhakti, não pode haver divórcio, não pode haver separação. Pois bhakti, sendo o yoga supremo, nos conduz a suprema união.

Bhakti traz consigo a compreensão, a tolerância, humildade, que são qualidades fundamentais para que se tenha uma boa relação. Uma bola relação não pode estar baseada na atração física nem na vida sexual. Vemos a este respeito, que os artistas, modelos e demais pessoas famosas, por sua beleza e dedicação a vida sexual, são as que mais fracassam em suas relações conjugais. Para que então seguir tolamente seus exemplos? Para centrar a vida no sexo e no prazer sensual não necessita de nenhuma vontade superior, somente há que deixar-se arrastar pelos desejos próprios da consciência animal e por suposto estes não podem dar nenhuma satisfação real, porque a satisfação é um pedido do espírito, da consciência.

A mente e os sentidos aparentam buscar felicidade e satisfação, mas na realidade somente querem atender suas curiosidades e caprichos, e o que os serve está  a maioria das vezes consciente de que isso só conduzirão a uma maior frustração e dor.

Vemos, por outro lado, que quanto maior a consciência, maior é o desejo de uma satisfação mais plena e durável, mais sana e universal. Por isso o desejo de satisfação provém do espírito que é o único que conta com os elementos da eternidade e consciência que são pré-requisitos indispensáveis para chegar a anandam, a grande felicidade.

Bhakti nos ensinará a respeitar nosso conjugue e nossos filhos, a vê-los como almas. Bhakti não permitirá que lhes façamos algum dano, ou que façam a nós.

Bhakti fará que esperemos o maior bem de Krsna e não de uma pessoa mortal. Graças a isso, um não exigirá de seu conjugue nem de seus filhos o que não estão em capacidade de dar. Nem verá a eles como a causa de seus sofrimentos, mas culpará a si mesmo. Tudo isso permite e facilita uma maior tolerância e compreensão.

Se quer mais satisfação e felicidade, o bhakta entenderá que deve aprofundar seu bhakti, que deve desenvolver um sentimento de agradecimento e de satisfação com Deus e todas as circunstâncias de sua vida. Tudo o que suceda em sua família verá como um presente enviado pelo Supremo para seu avance espiritual e assim o tomará.

Nunca culpará a seu conjugue ou filhos por seu sofrimento pessoal. Poderá, desde o começo, corrigir o que seja necessário, mas sem rancor nem ira, e sim tendo em conta que os erros são invitáveis e necessários para o crescimento.  Os erros também são bons porque nos obrigam a pedir perdão e a perdoar.

Bhakti fará florescer nosso amor por todas as criaturas e a preocupação pelo bem de todos. Se isso é naturalmente assim, é fato que também a família estará incluída. Não devemos temer pensando que se Krsna nos chama a Seu serviço vamos descuidar dos deveres. No Bhagavad Gita vemos que Ele forçou Arjuna a lutar pelo bem de seu povo, apesar de que Arjuna manifestou seu desejo de retirar-se e de levar uma vida de mendigo.

Krsna mesmo é o criador do sistema social e do grhastha asram, e Ele mesmo encarna para mostrar como devem ser um esposo e uma esposa ideais, como é um rei, um pai, um filho, etc. Em sua forma de Rsabhadeva, Krsna intrui que um pai e uma mãe, que esposo e esposa, devem ser Gurus. Desse modo, Ele não deixa de dar-lhes um lugar de fundamental importância na estrutura social e em Seu plano de liberação. Vemos que Sri Caitanya Mahaprabhu ficou famoso como “O devoto de Sua mãe”, e Srila Prabhupad dedicou seu belo livro de Krsna a memória de seu pai, quem apresenta como seu primeiro Guru.

Até mesmo a decida do Ganges a esta terra foi graças ao desejo do rei Bhagirath de liberar seus antecessores. Ele fez austeridades formidáveis para conseguir isso, e por último, Krsna mesmo promete liberar até quarenta gerações da família de um devoto puro e Srila Prabhupad comenta em um significado do Srimad Bhagvatam, que com isso Krsna quer dizer que libertará quarenta gerações para cima e para baixo, de todas as famílias que esse devoto teve em suas encarnações.

Deste modo, podemos ver de forma clara que bhakti é uma benção para a família em si e para todas as famílias que nos antecederam e que nos vão a preceder em vária geraçõe, de acordo com o nível de nossa devoção.

Voltando mais ao tem anterior, marido e mulher devem ter muito claro que para que seu matrimonio e filho sejam exitosos, devem cultivar ao máximo a devoção. Ao menos os esposos devem fazer isso e dar esse bom exemplo a seus filhos, como a mais valiosa herança que alguém pode lhes deixar.

Jamais devemos pensar que nossos filhos serão os bons devotos enquanto nos não desejamos ser. Também não podemos esperar que a esposa ou o esposo leve por si só a devoção para benefício da família. Não. Marido e mulher devem participar com a maior seriedade possível.

Gurudeva Paramadveti várias vezes afirmou o belo ditado de que “a família que ora unida, permanece unida”. Gurudeva também disse que as desavenças e discussões são só produtos do ego, por isso, uma vez mais, vemos que só recorrendo ao bhakti podemos nos libertar de sua influência, já que bhakti é a única medicina que erradica o ego para estabelecer a humildade.

Assim como bhakti sustenta todos os demais processos de yoga conhecidos como carma, jñana, raja, etc, do mesmo modo, somente bhakti sustenta os processos políticos e sociais de toda comunidade.

Não vejamos por isso a bhakti como uma ameaça a nossa família ou a nossos afetos. Não, bhakti vai purificar e sublimar nossos sentimentos, nunca vai os ignorar ou suprimir. É uma grande ofensa da deusa do bhakti duvidar em algum momento de sua boa capacidade e intenção.

A deusa do bhakti é nossa mãe que veio especialmente nessa vida a nos abençoar com sua presença, apresentando-se livremente ante nós para dar-nos sua graça sem causa.

Bhakti não permite adultério, não permite que busquemos o prazer sensual. Bhakti não permite que deixemos de compreender, de perdoar, que deixemos de querer e de agradecer, não permite a falta de sacrifício pelos outros e a falta de amizade. Como então não vai ser bhakti a maior bencão para toda relação?

Muito pelo contrário, bhakti garante a boa qualidade dos sentimentos de uma pessoa e é tão sensível que o menor desconforto que alguém cause desnecessariamente a outra entidade, é vista por ela como uma ofensa que se deve corrigir.

Sri Krsna mesmo não pede todo o amor para Si. Ele disse que Seus devotos devem ser adorados inclusive mais que Ele. Como mencionamos antes, Rsabhadev disse que na família cada um deve ser um Guru e, portanto deve ser uma pessoa querida e respeitada pelos demais. A pessoa que pensa que o amor deve ir somente para Krsna é um kanistha adhikari, que tem capacidade muito limitada de amar e que sente inveja dos demais.

Desse modo, bhakti nos dá o amor por todos, pois Krsna mesmo é o símbolo máximo do amor, por isso, os que estão mais próximos de Krsna são os que mais e melhor amam aos demais. Este amor inclui a todos, não é excludente, e a família ideal, perfeita e pura, deve ser uma verdadeira fonte desse amor, que é distribuído de forma generosa em toda a sociedade.

A família atual se fecha no frio egoísmo de seus interesses pessoais e por isso, em vez de ser uma verdadeira central de emanação de amor, é uma frustrada e egoísta central de luxúria, com uma pouco confiável aparência de amor.

No conceito Vaisnava, os grhastas são verdadeiros pregadores preocupados pelo bem dos demais. Narada Muni disse no Srimad Bhagvatam que os grhastas devem ver inclusive aos ratos e escorpiões como se fossem seus próprios filhos. Imaginem quanto amor, quanta consciência de Krsna deve haver em uma família sim.

Na cultura védica, estar casado era um requisito para ser um mestre espiritual, já que desse modo podia permanecer em um lugar e instruir a seus discípulos. Srila Prabhupad queria que os presidentes de templo fossem principalmente grhastas e que os sannyasis se dedicassem mais a viajar e a pregar. Desse modo vemos que a vida familiar não nos exclui ao mais baixo da vida espiritual, pelo contrário, por sua grande exigência, responsabilidade e compromisso, nos obriga a intensificar nossa devoção.

Bhakti está aí nos estendendo sua generosa mão, e se somos sérios com nós mesmos e com quem temos amorosamente sob nosso cuidado, nos preocuparemos muito com nosso crescimento interior, para ser uma fonte de alívio e benção para todos os que nos acompanham nesse longo caminho da vida, sem decepcioná-los nem traí-los nunca.

Somente pela graça de bhakti poderemos cumprir nossos grandes deveres com nossa alma e a dos demais.

O que Sri Krsna cria para teu bem, também o mantém para teu bem. Assim deves ver cada coisa que Krsna te envia e colocar acima de tudo. Ele graciosamente nos deu a bhakti, a grande ferramenta e arma para enfrentar e resolver qualquer dificuldade que se possa apresentar.

Confiemos por isso no bhakti, entreguemo-nos de corpo e alma a ela, dependamos de tudo nela e ela se encarregará de nos levar pelo brilhante caminho, baixo a auspiciosa lua que abre a lótus branca de nossa boa fortuna e nos mostra o oceano sempre crescente do gozoso sankirtan.

Hare Krsna,

Com reverencias a todos os devotos e mães que desejam fazer um êxito seu compromisso com Sri Guru, dentro de sua vida familiar.

Vaisnava-dasanudas, atulananda das

 

krsna yasoda