Srila Atulananda Acharya

bhakti e família

Deixe um comentário

bhakti e família
srila atulananda acarya

Bhakti, sendo o yoga supremo, nos conduz a suprema união

Bhakti enobrece nossa existência ao fazer-nos ver como eternos serventes de Deus. Bhakti nos diviniza, ao recordarmos nosso eterno compromisso com a transcendência. Bhakti é o que vai nos elevar.

krsna

Como a vida de casal e de família deve estar centrada e sustentada pelo amor, sem dúvida nelas é de grande importância a pratica do bhakti. Este deve ocupar um lugar predominante, já que é a ciência que nos ensina a amar, que nos permite amar de forma real. Não podemos separar bhakti do casal nem da família. Bhakti deve ser a base de tudo em nossa vida. Se devemos ocupar bhakti até para comer, o que dizer então para algo tão fundamental como a família?

Bhakti está em tudo, deve estar em todos os aspectos da vida de um homem e uma mulher superiores. Superior significa não deixar-se arrastar por desejos caprichosos, mas segurar com firmeza as rédeas de uma inteligência sã e tomar o caminho que conduz à verdadeira meta, que é o amor puro por Deus.

Bhakti enobrece nossa existência ao fazer-nos ver como eternos serventes de Deus. Bhakti nos diviniza, ao recordarmos nosso eterno compromisso com a transcendência. Bhakti é o que vai nos elevar, a mente e os sentidos nos degradam. Em nossa lamentável condição atual sentimos bhakti como um inimigo e vemos nossa mente e sentidos como amigos. Mas bhakti é o amigo de nosso ser superior e nos relaciona com os demais nesse mesmo nível.

Nessa altura alcançada pelo bhakti não existe rancor nem inimizade. Bhakti só está apoiando o amor, só está dando essa solução, essa única saída. Por isso nos obriga a nos elevar. Se há bhakti, não pode haver divórcio, não pode haver separação. Pois bhakti, sendo o yoga supremo, nos conduz a suprema união.

Bhakti traz consigo a compreensão, a tolerância, humildade, que são qualidades fundamentais para que se tenha uma boa relação. Uma bola relação não pode estar baseada na atração física nem na vida sexual. Vemos a este respeito, que os artistas, modelos e demais pessoas famosas, por sua beleza e dedicação a vida sexual, são as que mais fracassam em suas relações conjugais. Para que então seguir tolamente seus exemplos? Para centrar a vida no sexo e no prazer sensual não necessita de nenhuma vontade superior, somente há que deixar-se arrastar pelos desejos próprios da consciência animal e por suposto estes não podem dar nenhuma satisfação real, porque a satisfação é um pedido do espírito, da consciência.

A mente e os sentidos aparentam buscar felicidade e satisfação, mas na realidade somente querem atender suas curiosidades e caprichos, e o que os serve está  a maioria das vezes consciente de que isso só conduzirão a uma maior frustração e dor.

Vemos, por outro lado, que quanto maior a consciência, maior é o desejo de uma satisfação mais plena e durável, mais sana e universal. Por isso o desejo de satisfação provém do espírito que é o único que conta com os elementos da eternidade e consciência que são pré-requisitos indispensáveis para chegar a anandam, a grande felicidade.

Bhakti nos ensinará a respeitar nosso conjugue e nossos filhos, a vê-los como almas. Bhakti não permitirá que lhes façamos algum dano, ou que façam a nós.

Bhakti fará que esperemos o maior bem de Krsna e não de uma pessoa mortal. Graças a isso, um não exigirá de seu conjugue nem de seus filhos o que não estão em capacidade de dar. Nem verá a eles como a causa de seus sofrimentos, mas culpará a si mesmo. Tudo isso permite e facilita uma maior tolerância e compreensão.

Se quer mais satisfação e felicidade, o bhakta entenderá que deve aprofundar seu bhakti, que deve desenvolver um sentimento de agradecimento e de satisfação com Deus e todas as circunstâncias de sua vida. Tudo o que suceda em sua família verá como um presente enviado pelo Supremo para seu avance espiritual e assim o tomará.

Nunca culpará a seu conjugue ou filhos por seu sofrimento pessoal. Poderá, desde o começo, corrigir o que seja necessário, mas sem rancor nem ira, e sim tendo em conta que os erros são invitáveis e necessários para o crescimento.  Os erros também são bons porque nos obrigam a pedir perdão e a perdoar.

Bhakti fará florescer nosso amor por todas as criaturas e a preocupação pelo bem de todos. Se isso é naturalmente assim, é fato que também a família estará incluída. Não devemos temer pensando que se Krsna nos chama a Seu serviço vamos descuidar dos deveres. No Bhagavad Gita vemos que Ele forçou Arjuna a lutar pelo bem de seu povo, apesar de que Arjuna manifestou seu desejo de retirar-se e de levar uma vida de mendigo.

Krsna mesmo é o criador do sistema social e do grhastha asram, e Ele mesmo encarna para mostrar como devem ser um esposo e uma esposa ideais, como é um rei, um pai, um filho, etc. Em sua forma de Rsabhadeva, Krsna intrui que um pai e uma mãe, que esposo e esposa, devem ser Gurus. Desse modo, Ele não deixa de dar-lhes um lugar de fundamental importância na estrutura social e em Seu plano de liberação. Vemos que Sri Caitanya Mahaprabhu ficou famoso como “O devoto de Sua mãe”, e Srila Prabhupad dedicou seu belo livro de Krsna a memória de seu pai, quem apresenta como seu primeiro Guru.

Até mesmo a decida do Ganges a esta terra foi graças ao desejo do rei Bhagirath de liberar seus antecessores. Ele fez austeridades formidáveis para conseguir isso, e por último, Krsna mesmo promete liberar até quarenta gerações da família de um devoto puro e Srila Prabhupad comenta em um significado do Srimad Bhagvatam, que com isso Krsna quer dizer que libertará quarenta gerações para cima e para baixo, de todas as famílias que esse devoto teve em suas encarnações.

Deste modo, podemos ver de forma clara que bhakti é uma benção para a família em si e para todas as famílias que nos antecederam e que nos vão a preceder em vária geraçõe, de acordo com o nível de nossa devoção.

Voltando mais ao tem anterior, marido e mulher devem ter muito claro que para que seu matrimonio e filho sejam exitosos, devem cultivar ao máximo a devoção. Ao menos os esposos devem fazer isso e dar esse bom exemplo a seus filhos, como a mais valiosa herança que alguém pode lhes deixar.

Jamais devemos pensar que nossos filhos serão os bons devotos enquanto nos não desejamos ser. Também não podemos esperar que a esposa ou o esposo leve por si só a devoção para benefício da família. Não. Marido e mulher devem participar com a maior seriedade possível.

Gurudeva Paramadveti várias vezes afirmou o belo ditado de que “a família que ora unida, permanece unida”. Gurudeva também disse que as desavenças e discussões são só produtos do ego, por isso, uma vez mais, vemos que só recorrendo ao bhakti podemos nos libertar de sua influência, já que bhakti é a única medicina que erradica o ego para estabelecer a humildade.

Assim como bhakti sustenta todos os demais processos de yoga conhecidos como carma, jñana, raja, etc, do mesmo modo, somente bhakti sustenta os processos políticos e sociais de toda comunidade.

Não vejamos por isso a bhakti como uma ameaça a nossa família ou a nossos afetos. Não, bhakti vai purificar e sublimar nossos sentimentos, nunca vai os ignorar ou suprimir. É uma grande ofensa da deusa do bhakti duvidar em algum momento de sua boa capacidade e intenção.

A deusa do bhakti é nossa mãe que veio especialmente nessa vida a nos abençoar com sua presença, apresentando-se livremente ante nós para dar-nos sua graça sem causa.

Bhakti não permite adultério, não permite que busquemos o prazer sensual. Bhakti não permite que deixemos de compreender, de perdoar, que deixemos de querer e de agradecer, não permite a falta de sacrifício pelos outros e a falta de amizade. Como então não vai ser bhakti a maior bencão para toda relação?

Muito pelo contrário, bhakti garante a boa qualidade dos sentimentos de uma pessoa e é tão sensível que o menor desconforto que alguém cause desnecessariamente a outra entidade, é vista por ela como uma ofensa que se deve corrigir.

Sri Krsna mesmo não pede todo o amor para Si. Ele disse que Seus devotos devem ser adorados inclusive mais que Ele. Como mencionamos antes, Rsabhadev disse que na família cada um deve ser um Guru e, portanto deve ser uma pessoa querida e respeitada pelos demais. A pessoa que pensa que o amor deve ir somente para Krsna é um kanistha adhikari, que tem capacidade muito limitada de amar e que sente inveja dos demais.

Desse modo, bhakti nos dá o amor por todos, pois Krsna mesmo é o símbolo máximo do amor, por isso, os que estão mais próximos de Krsna são os que mais e melhor amam aos demais. Este amor inclui a todos, não é excludente, e a família ideal, perfeita e pura, deve ser uma verdadeira fonte desse amor, que é distribuído de forma generosa em toda a sociedade.

A família atual se fecha no frio egoísmo de seus interesses pessoais e por isso, em vez de ser uma verdadeira central de emanação de amor, é uma frustrada e egoísta central de luxúria, com uma pouco confiável aparência de amor.

No conceito Vaisnava, os grhastas são verdadeiros pregadores preocupados pelo bem dos demais. Narada Muni disse no Srimad Bhagvatam que os grhastas devem ver inclusive aos ratos e escorpiões como se fossem seus próprios filhos. Imaginem quanto amor, quanta consciência de Krsna deve haver em uma família sim.

Na cultura védica, estar casado era um requisito para ser um mestre espiritual, já que desse modo podia permanecer em um lugar e instruir a seus discípulos. Srila Prabhupad queria que os presidentes de templo fossem principalmente grhastas e que os sannyasis se dedicassem mais a viajar e a pregar. Desse modo vemos que a vida familiar não nos exclui ao mais baixo da vida espiritual, pelo contrário, por sua grande exigência, responsabilidade e compromisso, nos obriga a intensificar nossa devoção.

Bhakti está aí nos estendendo sua generosa mão, e se somos sérios com nós mesmos e com quem temos amorosamente sob nosso cuidado, nos preocuparemos muito com nosso crescimento interior, para ser uma fonte de alívio e benção para todos os que nos acompanham nesse longo caminho da vida, sem decepcioná-los nem traí-los nunca.

Somente pela graça de bhakti poderemos cumprir nossos grandes deveres com nossa alma e a dos demais.

O que Sri Krsna cria para teu bem, também o mantém para teu bem. Assim deves ver cada coisa que Krsna te envia e colocar acima de tudo. Ele graciosamente nos deu a bhakti, a grande ferramenta e arma para enfrentar e resolver qualquer dificuldade que se possa apresentar.

Confiemos por isso no bhakti, entreguemo-nos de corpo e alma a ela, dependamos de tudo nela e ela se encarregará de nos levar pelo brilhante caminho, baixo a auspiciosa lua que abre a lótus branca de nossa boa fortuna e nos mostra o oceano sempre crescente do gozoso sankirtan.

Hare Krsna,

Com reverencias a todos os devotos e mães que desejam fazer um êxito seu compromisso com Sri Guru, dentro de sua vida familiar.

Vaisnava-dasanudas, atulananda das

 

krsna yasoda

Anúncios

Autor: anangaradha

biografia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s